by Mario Bauer

quarta-feira,

Conhece a marca Watson, vencedora de Grandes Prêmios? Determinado a defender a vitória nas 500 Milhas de Indianápolis conquistada por Bob Sweikert, que deixou a equipe depois de um desacordo contratual durante o inverno, A.J. Watson colocou no seu Roadster, carro que inclusive usava partes de magnésio para diminuir o peso, o seu amigo Pat Flaherty para a edição de 1956. Hoje é o 6º aniversário da morte de Flaherty, piloto que levava os espectadores à loucura, pois toda vez que passava por uma das curvas, levantava a roda dianteira esquerda alguns centímetros do chão, já que o chassi era flexível o suficiente para fazer sucesso em ovais de terra. Venceu as Indy 500 e assim entrou para as estatísticas da Formula 1.

*

9/4/1921, Jean-Marie Balestre 09/04/2001, Jean-Marie Balestre nasce em Saint-Rémy-de-Provence na França.

Jean-Marie Balestre foi o homem mais poderoso do esporte a motor por 13 anos como presidente da Federação Internacional de Esportes Automobilísticos (sigla em francês FISA) entre 1979 e 1991 e esteve pesadamente envolvido no que foi chamada de guerra entre a FISA e a FOCA, uma batalha política sobre o controle das finanças e os campeonatos de Fórmula 1 entre 1980 e 82. Balestre e seu opositor, Bernie Ecclestone, travaram uma disputa após Enzo Ferrari ter intermediado um compromisso. Balestre assinou o primeiro Pacto da Concórdia, sob o qual a FOCA teve concedidos os direitos comerciais da F-1 enquanto a FIA reteve o controle de todos os regulamentos técnicos e desportivos.

Balestre foi eleito presidente da FIA, enquanto ainda presidente da FISA em 1986, estabeleceu específicas regras para testes de impacto para os carros de Fórmula 1, melhorando significativamente a segurança do esporte. Foi também um personagem-chave ao propor a abolição dos motores turbo da categoria a partir de 1989, argumentando que tal mudança seria essencial por razões de segurança. Em 1991 perdeu a eleição para a presidência da FISA para Max Mosley. Com a fusão da FISA com a FIA ele ainda perdeu a presidência da FIA para Mosley em 1993 e recuou à presidência da FFSA até o fim de 1996.

Nasceu em: 09 de abril de 1921 em Saint-Rémy-de-Provence na França.
Faleceu em: 27 de março de 2008 n França aos 87 anos.

*

09/04/2002, George Francis Flaherty Jr morre em Glendale (Califórnia), Estados Unidos.

Com o apelido de Pat, ele foi o pole-position das 500 Milhas de Indianápolis de 1956 estabelecendo o recorde de uma e quatro voltas lançadas de 146,056 milhas por hora (235,004 km/h), respectivamente para John Zink em um carro construído por um amigo de longa data, A.J. Watson, esta foi a primeira das conhecidas “Watson Roadsters”. Na corrida, Flaherty liderou 127 das 200 voltas para vencer a prova, mas um acidente arruinou sua velocidade média de 128,590 milhas por hora (206,06 km/h), além da quebra do cabo do acelerador apenas alguns segundos após ter cruzado a bandeira quadriculada.

Depois de sua última corrida em junho de 1963 em Milwaukee ele se afastou do automobilismo por completo e tornou-se profundamente envolvido em corridas de pombos, as quais ele conquistou considerável sucesso. Faleceu em 2002 após uma batalha de vários anos contra um enfisema.

Nasceu em: 6 de janeiro de 1926 em Glendale, Estados Unidos
Faleceu em: 9 de abril de 2002 em Oxnard, Estados Unidos, aos 76 anos.

*

09/04/1942, John Judd nasce em Conventry, Reino Unido

John Judd fundou a Engine Developments com Sir Jack Brabham em 1971 para produzir seus próprios motores de competição, tendo anteriormente trabalhado juntos na fábrica de motores da Repco, que produzia propulsores para a equipe Brabham de F-1, sob o nome Jack Brabham Conversions. Desde então, a empresa cresceu consideravelmente. No final dos anos 70 a empresa estendeu seu trabalho a motores da IndyCar e em 1980 Judd foi contratado pela Honda para desenvolver os motores da Fórmula 2.

No final de 82, quando a Honda entrou na Fórmula 1 e Judd começou a desenhar seus próprios motores, inicialmente na Fórmula 3000 e depois na Indy, bem como na F-1. Os motores Judd equiparam um bom número de equipe competitivas, incluindo Honda, Yamaha, Mazda, Toyota, Nissan e Williams, Lotus, Tyrrell e Arrows na Fórmula 1. A Engine Developments forneceu motores para vários times nas corridas de Fórmula 1 de 1988 a 1997.

*

09/04/1922, Johnny Thomson nasce em Lowell (Massachussetts), Estados Unidos.
Thomson foi outro piloto norte-americano a entrar nas estatísticas da Fórmula 1 por – em seu caso – estabelecer a pole-position nas 500 Milhas de Indianápolis, quebrando o recorde em classificação da pista em 1959 quando marcou a volta com média de 145,9 milhas por hora (234,7 km/h), uma marca e tanto à época. Ele terminou em terceiro em sua primeira corrida, seu melhor resultado nas 500 Milhas. Estatísticas de Fórmula 1 à parte, Johnny venceu sete corridas da IndyCar e terminou em terceiro na corrida do título em três ocasiões: 1955, 1958 e 1959. Infelizmente ele perdeu a vida em um acidente num evento em Allentown meses mais tarde.

Nasceu em: 09 de abril de 1922 em Lowell (Massachussetts), Estados Unidos
Faleceu em: 24 de setembro de 1960 em Allentown, Estados Unidos, aos 38 anos.

*

09/04/1971, Jacques Villeneuve nasce em Saint-Jean-sur-Richelieu no Canadá.

Filho de Gilles Villeneuve, Jacques tinha apenas 11 anos quando seu pai morreu em 1982. Em 1995 ele venceu tanto as 500 Milhas de Indianápolis como levou o título da IndyCar naquele ano. Isto, aliado ao desejo do supremo da F1 Bernie Ecclestone de ver um piloto da América do norte na categoria, colocou Villeneuve direto em uma equipe top em 1996. O título de 1997 foi o ponto alto da carreira de Villeneuve na F1, de onde então nunca mais venceu uma corrida pilotando um carro e depois de amargos anos com a caótica equipe BAR.

Villeneuve saiu após o final da temporada de 2003 quando tornou-se claro que ele não conseguiria um lugar para correr em 2004. Ele ficou de fora de boa parte da temporada até ser chamado de volta à F1 pela Renault para as corridas finais do ano, substituindo Jarno Trulli. Foi para a Sauber em 2005, mas lutou na maior parte do ano e teve sorte por ter um contrato para 2006 quando a BMW comprou a Sauber e decidiu honrar o compromisso.

O relacionamento não durou muito, com Villeneuve saindo no meio da temporada para ser substituído por Robert Kubica. O canadense ainda tentou correr na NASCAR Craftsman Truck Series e na Busch Series, mas não conseguiu garantir um cockpit na classe top para 2008, a Sprint Cup, depois de bater nos treinos de classificação para as 500 Milhas de Daytona. Ele também participou das 24 Horas de Le Mans com a Peugeot em 2007 e está no time para a maratona de Sarthe em 2008.

Anuncios

Responder

Por favor, inicia sesión con uno de estos métodos para publicar tu comentario:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s